Quen vai estar?

Quico Cadaval

O narrador de Ribeira, actualmente num merecido exílio, começou a contar histórias que nom entendia, para achegar-se, mesmo que fosse em forma orbital, ao significado oculto que todo conto guarda no miolo da noz. Um dia, esbrancujadas as suas barbas pola sabedoria, entendeu-no todo. O prodígio que todo contador, repetidor imperfeito de peripecias, procura, foi-lhe súbitamente revelado num pub da galiza superficial. Descobreu, a força de contar sem paixom, o segredo inexplicável dos contos. Pena que o esqueceu quase imediatamente.
Agora repete as mesmas histórias (leva muito tempo sem ingenhar nada novo) mais com aquela expresom preocupada do tipo que lhe parece que se está a esquecer de algo.